A autoburocracia

A burocracia é uma praga dessas bem dos infernos. Desde pequena que eu ouço meus pais falarem que “a culpa é da burocracia!” e antes mesmo de saber o que era, eu já odiava com todas as minhas pequenas forças esse demônio. Depois, na escola, eu aprendi que era um dos maiores problemas do Segundo Mundo (lembra disso?), que praticamente afundou a União Soviética. Ao passar dos anos, tive um contato mais direto com ela, infelizmente, principalmente quando fui aluna de uma universidade pública. Sei bem o que é, conheço, não curto.

Mas aí eu vou e descubro que existe algo chamado de autoburocracia. É uma espécie de coquetel em que os principais ingredientes são muita preguiça, confusão mental e até um pouco de medo. E ela pode te paralisar em variadas ocasiões, mas, geralmente, no que diz respeito a serviços e tarefas nas quais você é o responsável e que são de extrema importância.

Sabe a renovação da carteira de motorista? Puta trampo, né? Tem que ir lá no Detran, pegar uma superfila, fazer prova, curso, o escambau. “Ai que preguiça. Ai, não vou agora não. Vai ser horrível, vou chegar tarde no trabalho, vou levar bronca do chefe, vai dar merda. Vou semana que vem. Mas semana que vem vai ter a festa surpresa do Fulano e eu vou ter que pegar o bolo em Parelheiros e não vai dar pra ir no Detran.” Sim, a pessoa prefere pegar um bolo em Paralheiros.

Tem gente que é o oposto disso. Mas acho que eles são três no mundo. Um deles é um amigo que diz que adora resolver os perrengues de manutenção – que pra mim é superdoloroso – como levar uma panela pra trocar o cabo, o sapato ao sapateiro, uma barra de calça na costureira, etc., porque faz com que se sinta “cidadão”. Eu não conheço esse sentimento, infelizmente. Provavelmente, você que está lendo agora também não.

Mais comum é o tipo que perde prazos e com eles as oportunidades porque não consegue se mexer. Esses, eu conheço uns 500. E por isso mesmo, quando se consegue vencer a autoburocracia o sentimento é muito mais redentor. É o que se chama por aí de “sabor de vitória”, por mais cafona que a expressão seja.

Ontem eu venci. Estava atormentada pela minha própria inércia a mais de cinco meses. Foi duro pra caramba, tive pesadelos recorrentes até. E tudo porque não conseguia juntar uma papelada que tenho na minha casa, passar no banco, preencher uma ficha e mandar um material pelo correio. Quatro pequenas ações e cinco meses. Repito: cin-co me-ses.

É claro que eu prometi que isso nunca mais vai acontecer. E é claro que eu sei o que me ajuda a tomar uma atitude – lista de afazeres pra mim é batata! Mas, eu e você realmente acreditamos que a maldita autoburocracia não vai voltar a me rondar – e a vc também? Claro que não.

E deixa eu ir que tá na hora de abrir o gabinete e carimbar uns papéis ali.

Eu e as minhas listas de afazeres atrasados

 

Esta entrada foi publicada em janeiro 27, 2012 às 12:29 pm e está arquivada sob Ai esse comportamento!. Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.

6 opiniões sobre “A autoburocracia

  1. Me identifiquei com tudo, principalmente com a carteira de motorista, que está vencida, mas virou prioridade 1000 na minha vida. Beijo e parabéns pelo blog!

  2. Puxa Belle, que transmimento de pensação!!!!
    Hj é a minha primeira segunda-feira como novo soldado da “economia criativa”. Não tenho que ir trabalhar. E abro o computador justamente pra fazer uma lista de perrengues que nos últimos meses fui incapaz de fazer, por excesso de trabalho mas, sobretudo, de desorganização. Começando pela carteira de motorista vencida, contas atrasadas, manutenção (sim!) do carro, papelada bagunçada no escrtiório, enfim…..um mundo de burocracia caindo na cabeça! É por isso que estou montando um arquivo “Get a life 2012”, pra ver se consigo voltar a ser aquele velho virginiano de quem eu tanto me orgulhava🙂

  3. Nivaldo em disse:

    Sei bem como é isso, Belle!…é doença permanente, rs.

  4. Foi direto no nervo, Belle. Me fez lembrar esse lindo projeto: http://www.janbanning.com/gallery/bureaucratics/. Se tirar uma foto de raio-X de mim, sai igualzinho essas.

    • ai, helozita, é triste. eu tou sofrendo. consegui 90% das coisas que tinha que fazer. mas e a carteira da biblioteca pública, cadê? quer dizer, os 90% já viraram 70% porque é incrível como vai aparecendo coisa no meio do caminho, né? ai, ai.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: