Quando a crise atinge

Os Estados Unidos estão em crise, só se fala nisso na TV, nas mesas de bar e tal. Mas, na real, você vai pra rua e não vê isso. As pessoas tão lá, curtindo o fim do verão, se divertindo na praia, correndo no parque, comprando no fim de semana, levando seus filhos pra escola. Até que… BUM! Ela te atinge.

Aconteceu hoje comigo. Fui tomar café na Flourish, padaria e confeitaria totalmente excelente do lado da minha casa. Em menos de uma semana de moradora de Edgewater, bairro da região norte de Chicago, já viciei total. No domingo, com um trabalho pra entregar, fiquei cinco horas lá, tomei café e almocei. Foi lindo e eu me prometi voltar pelo menos uma vez por semana. Hoje, no café da manhã, a triste notícia.

A Flourish vinha passando por dificuldades. Tentaram se reinventar para manter as portas abertas. Contrataram os melhores confeiteiros e, no primeiro dia que entrei lá, vaticinei: meu bolo de aniversário é esse aqui! — olhando para o Red Velvet Cake mais lindo que eu já vi na vida. Acontece que não adiantou ter ótimos profissionais e atrair clientes como eu. Com a economia do jeito que está, a concorrência de grandes redes, o preço dos alimentos em alta, a confeitaria, como o aviso dizia, não conseguiu, well, to flourish. E, no dia 11 de setembro, eles vão fechar o negócio.

Além do repertório de doces maravilhosos que inclui um INCRIVEL chocolate chip cookie chunky, de um expresso honesto, dos ótimos preços e do antendimento simpático, a Flourish tem a MELHOR trilha sonora da cafe. Nas cinco horas do domingo, rolaram superclássicos da discoteca, do rock dos anos 70 e pérolas pop em geral. É triste. É de chorar.

No aviso, eles também deram o recado: support local establishments. Acho que é um recado pra quem lota a gigante Starbucks duas quadras à frente.

Vitrine dos bolos da Flourish, que, hoje de manhã, me fez chorar

Esta entrada foi publicada em setembro 6, 2011 às 10:40 pm e está arquivada sob Chicago, Comida, Economia, História. Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.

3 opiniões sobre “Quando a crise atinge

  1. Triste. Até eu me afeiçoei à Flourish.
    Starbucks são tão impessoais…
    Na minha curtíssima estadia em NY, fiz amizade com o dono do café da esquina, que no verão vendia os terríveis smoothies (ai, minha cabeça!), mas é outra vibe.
    Beijos

  2. Ana Cesaltina em disse:

    Não é também simbólico o fato de marcarem o fechamento pro dia 11 de setembro?

  3. é flórida. mas a crise aí tá feia, ne? vi que tem 41 milhões de americanos abaixo da linha da pobreza, já na miséria. quanto custava um bolinho neste paraíso dos bolos e cafés?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: