Crush no prefeito

Rahm Emanuel, prefeito de Chicago e gato

Eu me apaixonei por Rahm Emmanuel faz mais de dois anos, durante a última campanha presidencial americana, em 2008. E, apesar de ele ser bem bonitão, não foi só pelos seus looks, mas, como boa menina, pela sua personalidade. Seguro de si, ele tem o tanto certo de arrogância e polêmica, além de ser grande frasista. Pra completar, foi o inspirador de Josh Lyman, personagem de West Wing, o que por si só já era interessante – ou você aí que tá lendo não acha que pra inspirar um personagem, uma pessoa tem que ser mais que um personagem?

Em 2008, eu li um milhão de perfis do então braço-direito de Barak Obama, cada um com revelações mais incríveis que a outra. Um exemplo foi o peixe morto enviado em uma caixa de mogno a um desafeto. O mais interessante é que essa mesma pessoa, com essa atitude Soprano ou Corleone, fez ballet na juventude, influenciado pela mãe, e trabalhou no Arby’s. Diz se não é um personagem complexo! Foi também importante estrategista da campanha de Clinton e autou no mercado financeiro.

Quando eu soube que ele seria candidato à Prefeitura de Chicago, antes mesmo de ter certeza que viria morar aqui, virou uma obsessão. Me inscrevi no site da campanha e trabalhei por ele (!) na internet. Li com euforia os boletins diários e acompanhei de perto cada agenda do Emanuel-candidato. Em maio, ele assumiu a cidade.

Neste último domingo, 21 de agosto de 2011, Rahm Emanuel fez 100 dias de governo e eu me tornei uma moradora da sua Chicago. Tudo bem, eu acabei de chegar e realmente não entendo bem quais são os problemas da cidade. Sei que tem muito tiro de gangue, sei que há um déficit de mais de US$ 600 milhões e que o maior desafio dele, daqui pra frente, vai ser aprovar um orçamento minimamente satisfatório. Segundo o Chicago Tribune, até agora foi fácil, difícil vai ser esse lance do orçamento.

Foi fácil, mas ainda assim ele irritou muita gente. Não deu aumento prometido aos professores, deixou os sindicatos mais que de orelha em pé com um papo de demissão de funcionários públicos que não concordam com mudanças que, segundo ele, economizaria e otimizaria o sistema de governo. E agora ele luta por um cassino em Chicago para ter verba pra obras de infraestrutura. No mínimo, muito louco!

Mas o que chama atenção mesmo é o discurso. Na época da campanha ele falava que, se eleito, falaria as verdades mais duras e faria as escolhas mais difíceis. E aí, usa expressões que mostram que suas ações têm grande ineditismo e causam rupturas potentes -“unprecedented”, “the toughest”, ” the first ever”. Um exemplo: “It’s been more change at every level in a shorter period of time than at any other time in the history of the city of Chicago and I challenge anybody to say otherwise”.

Parece alguém que você conhece? Uma coisa em comum é que ele não tem parte de um dos dedos. O humor já é um pouco diferente…

Rahmbo e toda a sua irreverência; oi?

A verdade é que pra saber mais, só com o tempo e com mais conhecimento da cidade. Espero que isso não destrua meu crush.

Esta entrada foi publicada em agosto 23, 2011 às 12:14 pm e está arquivada sob Chicago, Política, Rahm Emanuel. Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: